Saltar para o conteúdo principal

Cerimónia de homenagem a Adriano Moreira

Humanista, defensor convicto dos direitos humanos, homem inovador, de visão e de ação. Assim tem sido a vida do Professor Adriano Moreira. Uma vida que soma já 100 anos e que foi recordada no dia 15 de setembro de 2022, no Auditório com o seu nome no ISCSP-ULisboa, numa cerimónia de homenagem pelo seu centenário. Uma organização conjunta entre o ISCSP-ULisboa, o Estado-Maior-General das Forças Armadas, a Academia das Ciências de Lisboa e a Sociedade de Geografia de Lisboa.

Durante a homenagem, o Presidente do ISCSP-ULisboa, Professor Ricardo Ramos Pinto, falou do Professor Adriano Moreira como “um cidadão do mundo”, estando, até hoje, “permanentemente à frente do sue tempo”. O Presidente do Instituto disse haver uma “enorme dívida de gratidão” por parte da Escola pela “transformação cientifico-pedagógica do Instituto, que permitiu que este se afirmasse como uma Escola de Ciências Sociais”.

Numa cerimónia onde não faltaram elogios ao homenageado, o Chefe de estado Maior das Forças Armadas, Almirante António Silva Ribeiro, destacou “a enorme admiração que toda a instituição militar nutre pelo Senhor Professor Adriano Moreira”, fazendo referência ao contributo que deu para a “formação de várias gerações de militares e para o prestigio das forças armadas portuguesas”.

Também o Presidente da Sociedade de Geografia de Lisboa (SGL), Luís Aires Barros, recordou o contributo que sempre deu a esta instituição, não apenas durante os 10 anos que a presidiu (entre 1964 e 1974), agradecendo o que fez pela SGL e pelo país. "Um século de fantástico" afirmou ao falar da vida de Adriano Moreira, pautada por "criar conhecimento, difundi-lo e trabalhar para o bem comum". Um legado também reconhecido pelo presidente da Academia das Ciências de Lisboa, José Luís Cardoso, onde o Professor foi também dirigente e "serviu de forma dedicada". "Figura central da política, cultural e científica dos últimos cem anos", recordou.

As quatros instituições ofereceram ao Professor Adriano Moreira um livro com diversos contributos que recordam o impacto que teve na história e desenvolvimento dos organismos por onde passou.

Na sessão, que o Professor Adriano Moreira acompanhou a partir da sua casa, estiveram presentes os antigos chefes de Estado Ramalho Eanes e Cavaco Silva, entre outras figuras de relevo do panorama político, bem como o presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva e o presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, que anunciou a atribuição ao Professor Adriano Moreira da medalha de mérito municipal. Carlos Moedas lembrou o “trabalho incansável na busca pela justiça” e afirmou que “Lisboa agradece-lhe”, lembrando o que a sua docência significa para a cidade e o contributo para a vida cultural de Lisboa.

Numa referência ao “papel fundamental no processo de fusão da Universidade Técnica e a Universidade Clássica”, o Reitor da Universidade de Lisboa, Luís Ferreira reconhece o Professor como “uma pedra angular da universidade”.  

“A democracia portuguesa deve também muito” a Adriano Moreira, afirmou o presidente da Assembleia da República, pelo seu contributo para acentuar o “pluralismo a diversidade na procura dos interesses mais relevantes nacionais, europeus e universais”. Augusto Santos Silva agradeceu ainda a “lição de liberdade e diversidade nesta nossa pátria em comum”.

O Presidente da República esteve ausente da cerimónia por ocasião da cerimónia de tomada de posse do Presidente de Angola, mas deixou uma declaração através de vídeo, onde falou do ISCSP-ULisboa como a “Escola de sempre” de Adriano Moreira. Instituição onde “soube unir o passado e o futuro” a quem “deu uma alma que não renegasse o passado, mas sobretudo fosse portadora de futuro”. “Adriano Moreira já entrou na História de Portugal. Projetou a língua, a cultura e os valores portugueses por todo o mundo” declarou Marcelo Rebelo de Sousa.

Este website usa cookies para otimizar a sua navegação.Ler mais Concordar