Saltar para o conteúdo principal

Laboratório de Estudos Judaicos

O LEJ - Laboratório de Estudos Judaicos foi criado no ISCSP - Universidade de Lisboa em 2015 com o objetivo de complementar o quadro dos centros de investigação e desenvolvimento deste Instituto, através de uma aposta na vertente de análise no domínio específico das temáticas da herança sefardita dos países lusófonos, e promover a pesquisa das comunidades judaicas de matriz cultural e histórica portuguesa na contemporaneidade.

A investigação que o LEJ pretende desenvolver inscreve-se nas atuais tendências da história e genealogia, da antropologia e das relações internacionais, colocando no centro das suas preocupações o mundo de hoje globalizado. A diversidade de formas de mobilidade que entretecem hoje as complexas relações entre pessoas, culturas e lugares ao invés de enfraquecerem, fortaleceram as heranças culturais pretéritas e estabelecem sobre elas novas inter-relações transnacionais designadamente assentes sobre as identidades e o património cultural material e imaterial, como sejam as edificações e os museus, no primeiro caso, e a religião ou os rituais e a memória, no segundo.

O Laboratório de Estudos Judaicos, propõe-se levar a cabo uma tarefa de âmbito ciclópico, mas de inegável interesse histórico e social: proceder ao levantamento sistemático e integrado das várias comunidades criptojudaicas, sefarditas, cristãs-novas, existentes em Portugal, numa primeira fase e, bem assim, no antigo Império Ultramarino, numa segunda, com vista a reconstituir os agregados familiares respetivos, identificar as suas inter-relações quer de âmbito nacional quer de âmbito transfronteiriço, tornando evidentes os processos de integração e de mobilidade social numa lógica diacrónica, explicitando, por conseguinte, o desempenho das atividades económicas e laborais dos respetivos agregados familiares, numa moldura de família extensa, identificando as estratégias tipificadas de cooperação e de identidade, ao mesmo tempo que se tornam evidentes as concertações ao nível da ação conjunta de acesso ao poder, primeiro local e, depois, nacional, da macro comunidade enquanto um todo até à sua dissolução por assimilação na nação portuguesa. Este propósito conclusivo só é possível mediante a construção progressiva de uma base de dados suficientemente enriquecida e completa sobre qual seja possível elaborar com os propósitos e perspetivas afirmadas, não se excluindo outras vias que a própria base proponha e permita realizar. A publicação da Coleção de Estudos Judaicos já iniciada, reflete bem este propósito.

Na concretização deste ambicioso projecto científico o Laboratório de Estudos Judaicos recorrerá a colaboração graciosa de investigadores e académicos exteriores, supervisionando pesquisa e o seu resultado final de modo a garantir critérios de exigência e de uniformidade indispensáveis para se atingirem os objetivos propostos no seio da academia e da Universidade.

 

Coordenação

António de Sousa Lara
António de Sousa Lara

António de Sousa Lara

Professor(a) Catedrático(a) Convidado(a)

Piso 3 - Gabinete 13

Coordenação executiva:

Marina Mendes de Almeida Cunha Pignatelli
Marina Mendes de Almeida Cunha Pignatelli

Marina Mendes de Almeida Cunha Pignatelli

Professor(a) Associado(a)

Piso 1 - Gabinete 27

O LEJ tem os seguintes objetivos:

  • a) O levantamento tão exaustivo quanto possível das comunidades sefarditas históricas portuguesas, a sua caracterização e descrição, a sumarização da sua perseguição em termos históricos, e o estudo das mobilidades geográfica e social dos seus membros. A divulgação destes resultados, por diversas vias possíveis, constitui um objetivo necessário deste Laboratório;
  • b) O estudo e divulgação do património respetivo e o das comunidades atuais, em múltiplas situações, constitui um segundo domínio de atuação relevante;
  • c) A mediação, através da arte contemporânea, dos processos de recordar e esquecer o passado no refazer da memória e da identidade em situações de crise cultural provocada por mudanças sociais, políticas e económicas;
  • d) As ligações entre o património, a memória e a identidade na produção de lugares que proporcionam experiências culturais localizadas e “autênticas” que são incorporadas em circuitos de viagens e práticas de turismo global;
  • e) As formas como são articuladas as retóricas e práticas do desenvolvimento a partir de uma perspetiva sociocultural, como alternativa à visão estritamente economicista.

 

Publicações da Coleção de Estudos Judaicos

Este website usa cookies para otimizar a sua navegação.Ler mais Concordar